Nascido para caçar

Como tutores babados, todos gostamos de apreciar a destreza com que os nossos gatos vão pata ante pata, de forma silenciosa e delicada em direção à sua presa… que pode ser um simples rato de corda!

São animais de uma harmonia subtil e eficaz! Todos os gatos estão preparados para caçar. Desde a anatomia das suas articulações híper flexíveis, à apurada audição, olfato irrepreensível e boa visão periférica. Tudo a postos para serem caçadores exímios.

Quando os gatos têm acesso à rua, mesmo que sem fome, vão continuar a caçar e esse comportamento deve ser respeitado. Se o gato vive exclusivamente dentro de casa somos nós que devemos proporcionar momentos de caça. Mas descanse, porque isso não significa soltar ratos em casa! Então o que fazer?

Existem várias artimanhas, vamos enumera-las:
– Brinquedos interativos, que mexem sozinhos ou, por exemplo, tipo toca e foge;
– Brinquedos onde possamos esconder a comida;
– Caninhas, ratinhos, bolas, tudo vale desde que não consiga ser engolido (cuidado com as tampas, botões, elástico de cabelo, agulhas, etc.);
– Para os gatos apreciadores de gadgets há jogos para écrans “touch” que simulam a caça, mas, tal como os ponteiros laser, devem ser usados com moderação para não criarem frustração.

Vamos esconder a comida!
Quando nas consultas aconselhamos a utilização de comedouros interativos, nomeadamente, para auxiliar nos planos de perda de peso, invariavelmente a primeira reação é: coitadinho!

Gatos e tutores gostam daquele momento em que um miado inconfundível ecoa na cozinha, e lá vamos nós fazer mais um “clic” ao abrir uma lata, enquanto o mais giro dos gatos se esfrega nas nossas pernas.
Nada contra! Esses momentos são importantes, criam vínculo entre tutor e gato. Mas é igualmente importante que o seu gato procure a comida.

A simulação do ato da caça estimula o gato, não só física como cognitivamente. Pode esconder a comida em comedouros adequados para o efeito e/ou simplesmente variando o local onde coloca o comedouro.
Já reparou que os felinos no zoo têm a comida escondida por exemplo dentro de troncos? O que lhe parece mais adequado, este procedimento ou colocar a “carne” numa taça?

Não subestime as capacidades do seu gato, ele vai descobrir a comida e provavelmente mais rapidamente do que estava à espera. Em breve o desafio vai ser para o tutor, que já não consegue descobrir locais “difíceis”!

Voltamos em abril com a Dica: Sou um gato maduro, e então!?
Até lá bons momentos felinos.

Por: Maria João Dinis da Fonseca
Artigo gentilmente cedido pelo Grupo Hospital do Gato