Maneio dos alergénios de gatos e hidratação felina

O Purina Institute organizou um simpósio digital, durante o Congresso da Sociedade Internacional de Medicina Felina (Congresso ISFM), trazendo a debate as mais recentes inovações científicas na área do maneio de alergénios felinos e da hidratação dos gatos.

Neste simpósio participaram mais de 3.000 congressistas de vários países. O programa incluiu várias sessões interativas sobre a ligação humano – animal de companhia, e no seu potencial de transformação da sociedade.

Nova abordagem ao maneio de alergénios felinos

“As alergias são uma das principais causas de realojamento do gato” confirmou o Andrew Sparkes, médico veterinário especializado em medicina felina* durante a sua apresentação sobre o impacto das alergias de humanos a gatos. O médico falou sobre os felinos e a sua ligação com o ser humano, afirmando que os alergénios felinos se encontram entre a terceira e quinta principais causas de realojamento felino, de acordo com os estudos.

“Contudo, também foi demonstrado que apenas 20-30% dos tutores aceitam o conselho do seu médico, no que se refere a remover o gato de casa, em caso de alergia.” Em ambas as situações – desistir de viver com o gato ou continuar a viver com ele quando se sofre de alergia – são muitas vezes escolhas emocionalmente dolorosas e que prejudicam a ligação entre os humanos e os animais de companhia.

Segundo Ebenezer Satyaraj, Director do Departamento de Nutrição Molecular, na Nestlé Purina Research, que apresentou uma abordagem revolucionária no maneio dos alergénios de gatos, “aproximadamente 95% das pessoas alérgicas a gatos estão sensibilizadas contra o principal alergénio felino, o Fel d 1,”.

O imunologista descreveu os estudos por detrás desta inovação, que se baseia na incorporação de anticorpos com origem no ovo na dieta, que neutraliza o alergénio Fel d 1 na sua origem — a boca do gato — espalhado no pelo durante a higiene do mesmo quando se lambe, e depois pelo ambiente quando o pelo e as partículas de pele se libertam.

“A nova abordagem é segura, eficaz e “amiga do gato”, para responder a um problema que impacta inúmeros lares com gatos a nível mundial,” concluiu, acrescentando que, quando incluído num programa de maneio da alergia abrangente, esta abordagem oferece uma oportunidade em reduzir o Fel d 1 enquanto permite que o gato permaneça no lar onde é amado.

Nova abordagem nutricional na hidratação dos gatos

“Muitas patologias poderão beneficiar de uma melhor hidratação do gato”, relembrou o Andrew Sparkes durante a sua palestra, “como a doença renal crónica, doença do trato urinário inferior felino, diabetes mellitus e obstipação”. Contudo, além de disponibilizar alimento húmido e fomentar a maior ingestão de água, as opções são limitadas.

O investigador Brian Zanghi, da área de Investigação e Desenvolvimento Nutricional na Nestlé Purina, apresentou resultados promissores de estudos já realizados, nos quais foi feita uma abordagem inovadora para a hidratação de pacientes, baseado em água enriquecida com nutrientes. “Os resultados demonstraram que os gatos aumentaram de forma significativa a ingestão de água e melhoraram a sua hidratação, comprovado por maior produção de urina com menor gravidade específica”.

Reforçar a ligação animal de companhia – humano para transformar a sociedade

Os participantes do simpósio assistiram ainda à apresentação da Ashoka, empreendedores sociais, pioneiros no campo de empreendedorismo social e parceiros do Purina BetterwithPets Prize.

Nalinika Obeyesekere, veterinária e membro da Ashoka, afirmou que “os médicos e enfermeiros veterinários focam-se em determinados serviços, que podem ser diversificados”, ao descrever um projeto de criação de espaços multidisciplinares, que pode incluir serviços como terapias com animais de companhia, pet café, hotéis e mesmo apartamentos pet-friendly, asseverando que “como profissionais, podemos ter um impacto muito mais alargado na ligação humano – animal de companhia, maior do que pensamos que poderemos ter”.

Já Arianna De Mario, diretora das parcerias estratégicas desta organização sem fins lucrativos explorou como a ligação entre os humanos – animais de companhia pode ajudar a transformar a sociedade.

Daniel Rodes Moltó, gestor regional do Purina Institute Europa, Médio Oriente e Norte de África, comentou que “como a voz da ciência Purina, o Purina Institute partilha descobertas científicas e investigação pioneira na área de nutrição com a comunidade médico veterinária mundial. Além disso queremos recuperar a discussão à volta da ligação animal de companhia – humano, do seu poder para transformar a sociedade e que papel os médicos veterinários e outros profissionais da área podem desempenhar. Por esse motivo, organizamos este simpósio como parte do Congresso ISFM.”