Dicas | Os gatos e o fogo-de-artifício

O fogo-de-artifício e os foguetes fazem parte das comemorações do Ano Novo. Pode ser um grande atração para os donos, mas completamente aterrador para os animais de companhia.

Nos últimos meses têm vindo a público várias notícias da morte de animais de companhia causadas pelo fogo-de-artifício. Surgiram petições e divulgaram-se inúmeros apelos para proteger os animais de companhia. Inclusive, um pouco por todo o mundo foi cancelado o fogo-de-artifício nas festividades ou optaram por uma alternativa sem ruído.

Muitos animais entram em stress e apresentam sinais de ansiedade extrema. Ficam verdadeiramente aterrorizados e sem controlo. Em estado de pânico, os olhos parecem que saem e permanecem colados às paredes e ao chão.

Normalmente, um animal que tem um medo irracional de foguetes e de fogo-de-artifício pode reagir de duas formas: tenta esconder-se para evitar o problema ou foge da situação que o aterroriza.

Deixamos 9 dicas para tornar as comemorações de Ano Novo mais seguras para o seu animal de companhia e que pode também colocar em prática em outras alturas festivas do ano, por exemplo, nas festas locais.

1. O seu gato tem microchip?
Recordamos que é obrigatório identificar os gatos por implantação de um transponder, normalmente designado por microchip, e registar no SIAC – Sistema de Informação de Animais de Companhia. Se o gato fugir, a leitura do microchip é essencial para localizar os seus donos.

2. Outras formas de identificação
Adicionalmente, pode colocar uma medalha de identificação com o seu contacto na coleira ou um dispositivo que tenha GPS incorporado, ligado a uma aplicação. Dessa forma saberá sempre onde está o seu gato.

3. Proporcione um refúgio em casa
Se a caminha do seu gato estiver junto a uma janela ou porta, leve-a para um local mais tranquilo. Pode até preparar uma espécie de “toca”, cobrindo-a com uma toalha. O uso de difusores de feromonas nessa divisão pode ajudar a acalmar o gato.

4. Brinquedos e comida
Neste dia pode comprar ou fazer um novo brinquedo para lhe dar um pouco antes da chegada da meia-noite. Outra opção são os brinquedos interativos, recheados com comida, que estimula o lado caçador do seu gato. A ideia é mantê-lo distraído do que se passa no exterior.

5. Minimize o barulho e a luz exterior
Antes da meia-noite feche as portas, as janelas, os estores e as cortinas, minimizando desta forma o barulho exterior. Além disso, desta forma o gato não vê o fogo-de-artifício. Pode ligar a televisão ou o rádio.

6. Deixe-o estar sossegado
Se o seu gato se esconder, deixe-o estar, não o obrigue a sair do seu esconderijo. É onde se sente mais seguro e, possivelmente, é onde o ruído exterior é menos audível. Deve manter-se calmo e esperar. No final, quando se sentir a salvo, o gato irá sair do seu esconderijo.

7. Cuidado com as fugas!
Um gato em pânico consegue arranjar maneira de fugir. Verifique se o espaço onde está é à prova de fuga e seguro, para que não se magoe se se assustar.

8. Fale com o médico veterinário
Em casos extremos fale com o médico veterinário que acompanha o seu gato, para saber que alternativas existem para o ajudar a superar esta noite.

9. É a primeira vez…
Se não sabe como o seu gato irá reagir ao fogo-de-artifício e aos foguetes, pode optar por ficar em casa ou pedir a alguém (um amigo ou familiar) que lhe faça companhia, distraindo-o com guloseimas e jogos, por exemplo.

Partilhe estas dicas!
Um Bom Ano Novo para todos!