Vai adotar um gato? Parabéns!

Se está a pensar em ter um gato, há certos fatores que deve considerar para começar já hoje a preparar a sua chegada. Aqui vai uma ajuda!

Como escolher um gato
Prefere um gato de raça ou prefere adotar um gato sem raça definida (denominados “domésticos”)? Existem gatos de raça para todos os gostos e feitios, mas também existem gatos domésticos com características variadas e maravilhosas.
Os apreciadores de cada raça enaltecem as suas particularidades, os defensores dos gatos domésticos a sua maior autenticidade felina. Trata-se de uma decisão pessoal. Em qualquer dos casos vai ser uma experiência enriquecedora.

O gato de raça
Se optar por um gato de raça, informe-se das particularidades de cada raça, de modo a optar por um gatinho que se adapte ao seu estilo de vida e personalidade.
Por exemplo: se tem pouco tempo livre, um gato de pelo comprido, que precisa de ser escovado diariamente poderá não ser a melhor opção.
Existem também algumas raças cujos problemas de saúde são mais frequentes e há ainda algumas raças de gatos, que, tal como o que acontece com os cães, é eticamente discutível a sua criação, por razões que se prendem com o bem-estar felino.
Estes são temas sensíveis que deve abordar previamente com o seu médico veterinário. Após ponderar esta decisão, adquira o gatinho diretamente ao criador, de modo a conhecer o local onde ele nasceu e preferencialmente conhecer ambos os progenitores.

O gato sem raça
Quanto aos gatos sem raça definida, existe sempre um à sua espera nas Associações que os protegem. Se adotar um gato na rua, qualquer que seja a sua idade, deve ser observado por um médico mesmo antes de o levar para casa.

A idade e o género
Quanto à idade, lembre-se que os gatos bebés precisam de mais atenção e de comer várias vezes ao dia. Se tem uma vida muito atribulada poderá ser preferível adquirir um gato já adolescente ou adulto, mas averigue se foi corretamente socializado.
No que respeita ao género, uma vez esterilizados, existem poucas diferenças de temperamento entre machos e fêmeas.

Costuma-se dizer que são os gatos que escolhem o tutor, por isso deixe-se conquistar…

Comportamento
Perceber o comportamento felino é um desafio para todos os que lidam com gatos. O que deve saber antes de ter um gato:
» O gato não necessita de ser passeado na rua, o que é muito confortável para o tutor. Necessita de ter pelo menos uma caixa de areia que deve ser mantida sempre limpa. A areia vai permitir ao seu gato enterrar as fezes e a urina. Este é um comportamento inato, ou seja, não necessita “treinar” o seu gato, basta colocar a caixa de areia num local acessível;
» O gato gosta de arranhar, este comportamento deve ser previsto e deve disponibilizar arranhadores próprio em locais estratégicos da casa;
» Os gatos passam dois terços da sua vida a dormir, ou seja, dormem cerca de 16 horas por dia. Garanta que o seu gato tem sítios calmos para fazer as suas longas sonecas!
» Os gatos comem com frequência erva para ajudar à digestão ou induzir o vómito, isto é perfeitamente natural. Se o seu gato não tem acesso ao exterior arranje um vaso onde plantar erva própria (por exemplo, sementes de cevada);
» Porque se estão sempre a lavar, acumulam, por vezes, bolas de pelo no estômago. Estas bolas de pelo (nome técnico pilobezoares), por vezes, são eliminadas no vómito. As bolas de pelo devem ser prevenidas através da administração regular de uma “pasta” própria para o efeito;
» Os gatos adoram brincar. Não o habitue a brincar com as suas mãos e pés para não lhe ensinar maus hábitos. Os brinquedos tipo cana de pesca são uma ótima opção. Reserve um tempo do seu dia-a-dia para brincar com o seu gato. A brincadeira fortalece os vínculos e é um modo de o seu gato fazer exercício e ter estímulo cognitivo, vai ver como é divertido. Filme, para mais tarde recordar…

Cuidados básicos
Os gatos são excelentes animais de companhia inclusive para pessoas com vidas ocupadas ou com mobilidade reduzida. Embora muito autónomos, precisam obviamente de quem cuide deles. Mantenha o seu gato feliz e saudável seguindo os seguintes conselhos:
» Escolha o médico veterinário que irá acompanhar o crescimento do seu gato e estabelecer um plano de profilaxia (vacinação e a desparasitação) adequado ao seu estilo de vida. O médico irá também recomendar a idade para a esterilização (em média por volta dos 6 meses). Numa das visitas ao veterinário será também colocado o microchip;
» Adquira uma alimentação húmida e sólida adequada à idade e de preferência que tenha sido recomendada pelo seu médico veterinário. O alimento seco bem como a água devem estar sempre à disposição do seu gatinho;
» Mantenha a caixa de areia sempre limpa;
» Gatos de pelo curto devem ser escovados 1 a 2 duas vezes por semana, mas os gatos de pelo comprido precisam de ser penteados diariamente;
» Muito, muito importante é realizar enriquecimento ambiental em casa, o que significa ter brinquedos, arranhadores e esconderijos e, claro, algum tempo para descontrair e brincar com o seu gato.

O primeiro dia
Prepare-se para uma receção feliz e saudável. A chegada de um novo gato é um momento emocionante e inesquecível. Tente planear este dia de modo a poder passar o dia inteiro com o seu novo gato.
Não lhe pegue frequentemente ao colo, nem permita que as crianças da casa o façam. Deixe ser o seu gato a explorar a casa à medida que se vai sentido mais seguro, em poucos dias vai dominar o território e desafiar os tutores para longas brincadeiras. Registe este dia com fotografias inesquecíveis.

Está comprovado que o contacto próximo com gatos ajuda a evitar o stress, ajuda a controlar a pressão arterial, combate a solidão, ensina as crianças a tornarem-se adultos mais responsáveis e estreita os laços familiares.

Conviver diariamente com um gato vai ser uma experiência única e ao fim de pouco tempo vai pensar: porque é que esperei tanto tempo?!

Até breve.
Bons momentos felinos.

Por: Maria João Dinis da Fonseca
Artigo gentilmente cedido pelo Grupo Hospital do Gato

PUBLICIDADE